Acima, design gráfico para documentário "Kaitumba"

+ Projeto gráfico e diagramação do livro "Yemoja Sessu - Memória de uma Comunidade Tradicional de Matriz Africana Paulista." 
Àgò Lònà Associação Cultural | 2016

Ao lado, desenho da marca da Àgò Lònà Associação Cultural | 2011

A Associação produz projetos culturais focados na ancestralidade, circularidade, oralidade e identidade.

Abaixo, arte gráfica para divulgação do MERCADO D´ÀGÒ
Àgò Lònà Associação Cultural | 2015

Um mercado afro-brasileiro na rua, no tradicional bairro do samba paulistano, a Barra Funda. Um espaço para encontros, troca de saberes e fazeres.

 
 
1/2

Arte gráfica para material de divulgação da exposição Carolina em nós, Museu Afro Brasil| 2015

Carolina Maria de Jesus foi uma mulher como inúmeras brasileiras. Negra, invisibilizada pelo Estado e pela sociedade, teve que lutar muito para criar seus três filhos sozinha. Nascida em Minas Gerais, viveu na cidade de São Paulo como catadora de papel. Fez do papel um suporte para expressar a sua voz e a sua força, escrevendo sobre o cenário social a partir do seu lugar. Em 1960 publicou um diário (Quarto de despejo) -  livro que vendeu 10.000 exemplares em uma semana e foi traduzido para mais de 13 idiomas. Carolina publicou mais 7 livros e escreveu inúmeros textos, romances, poemas, peças de teatro e marchas de Carnaval. * Ilustrações originais feitas com máquina de escrever *  

Ilustrações para o livro "A LENDA DO REI SEBASTIÃO E O TOURO ENCANTADO" , Editora Mercuryo Jovem | 2011

A história do antigo rei português que desapareceu numa batalha na África é bem conhecida. Sob domínio da Espanha, Portugal acreditava que o jovem rei sobrevivera e voltaria para libertar seu povo. Essa crença foi chamada de Sebastianismo. O que muita gente não sabe é como esse Rei Encantado foi parar nas areias do Maranhão. Uma lenda tradicional maranhense que virou livro, escrito em forma de cordel por Wilson Marques, que ilustrei com referência na arte da xilogravura, tão marcante na literatura de cordel brasileira.

Iansã

Estudos com Roberta Viana | 2012 e 2011

Desenhos de uma série de estudos/ensaios a partir do trabalho de interpretação de Roberta Viana, atriz, dançarina, percussionista e arte-educadora.

 
 

Arte gráfica para o Carnaval do Bloco Ilú Obá de Min | 2012 a 2015

Ilú Oba De Min é um Bloco ​Afro ​​que, há mais de dez anos s​e apresenta pelas ruas de São Paulo, com sua voz e bateria formadas só por mulheres​. Mãos femininas que tocam para o Rei Xangô. Todos os anos, o bloco homenageia um mito ou uma personalidade de relevância para a Cultura Negra. Na galeria acima, a bateria do bloco (2011) e arte gráfica de alguns dos carnavais que participei do grupo, além do IV Ekán de AXé Nega Duda, que foi tema do Carnaval de 2014 Nega Duda e o Samba de Roda do Recôncavo Baiano - Patrimônio Imaterial da Humanidade. No ano de 2013, a homenagem foi para as Orixás femininas As Yabás - as Deusas do Axé

 

 
 
Mostrar Mais

Ilustrações para o livro "O tambor do Mestre Zizinho", Editora Mercuryo Jovem | 2010

O livro O tambor do mestre Zizinho, de Wilson Marques, conta a história de um menino que descobriu

o Tambor de Crioula do Maranhão. 

 

Arte gráfica para o
"Ano da França no Brasil no Maranhão" Secretaria de Cultura do Estado do Maranhão - SECMA | 2009

 

O Ano da França no Brasil foi uma iniciativa do governo dos dois países, com o objetivo de aprofundar relações. De 21 de abril a 15 de novembro de 2009, 
houve uma 
programação em todo o país, com manifestações artísticas da França contemporânea.

São Luís, a única cidade brasileira fundada por franceses não ficou de fora dessa celebração.

 

Ilustrações para Lobo Siribeira e banda | 2008

A banda de Lobo Siribeira mistura instrumentos e ritmos afro-descendentes e índigenas presentes nas manifestações populares maranhenses em diálogo com outros elementos sonoros da música contemporânea.

 

1/3

Ensaio sobre o Tambor de Crioula, São Luís, MA | 2008

Desenhos de observação do tradicional Tambor de Crioula da Praia Grande, em São Luís do Maranhão. Essa série, feita com lápis de cor, foi vencedora do 31º Concurso Literário e Artístico da cidade de São Luís, 2008.

Desenhos do Maranhão - IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional | 2004 a 2009

Aqui estão alguns de uma vasta série de série de desenhos da época que vivi no Maranhão. A grande maioria são paisagens do litoral e dos manguezais da cidade de Alcântara e de São Luís, feitos com lápis de cor aquareláveis e tinta aquarela. A seleção acima contém imagens que foram utilizadas em publicações para o IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional , o mapa da cidade de Alcântara e algumas compuseram a Exposição "Alcântara - álbum de desenhos" no Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho, em 2006.