cultura 

 
 

Arte gráfica para divulgação do MERCADO D´ÀGÒ
Àgò Lònà Associação Cultural | 2015

Um mercado afro-brasileiro na rua, no tradicional bairro do samba paulistano, a Barra Funda. Um espaço para encontros, troca de saberes e fazeres.

+ desenho da marca da Àgò Lònà Associação Cultural | 2011

A Associação produz projetos culturais focados na ancestralidade, circularidade, oralidade e identidade.

1/2

Arte gráfica para material de divulgação da exposição Carolina em nós, Museu Afro Brasil| 2015

Carolina Maria de Jesus foi uma mulher como inúmeras brasileiras. Negra, invisibilizada pelo Estado e pela sociedade, teve que lutar muito para criar seus três filhos sozinha. Nascida em Minas Gerais, viveu na cidade de São Paulo como catadora de papel. Fez do papel um suporte para expressar a sua voz e a sua força, escrevendo sobre o cenário social a partir do seu lugar. Em 1960 publicou um diário (Quarto de despejo) -  livro que vendeu 10.000 exemplares em uma semana e foi traduzido para mais de 13 idiomas. Carolina publicou mais 7 livros e escreveu inúmeros textos, romances, poemas, peças de teatro e marchas de Carnaval. * Ilustrações originais feitas com máquina de escrever *  

 

Arte gráfica para o Carnaval do Bloco Ilú Obá de Min | 2012 a 2015

Ilú Oba De Min é um Bloco ​Afro ​​que, há mais de dez anos s​e apresenta pelas ruas de São Paulo, com sua voz e bateria formadas só por mulheres​. Mãos femininas que tocam para o Rei Xangô. Todos os anos, o bloco homenageia um mito ou uma personalidade de relevância para a Cultura Negra. Na galeria acima, a bateria do bloco (2011) e arte gráfica de alguns dos carnavais que participei do grupo, além do IV Ekán de AXé Nega Duda, que foi tema do Carnaval de 2014 Nega Duda e o Samba de Roda do Recôncavo Baiano - Patrimônio Imaterial da Humanidade. No ano de 2013, a homenagem foi para as Orixás femininas As Yabás - as Deusas do Axé

 

Ilustrações para o livro "A LENDA DO REI SEBASTIÃO E O TOURO ENCANTADO" , Editora Mercuryo Jovem | 2011

A história do antigo rei português que desapareceu numa batalha na África é bem conhecida. Sob domínio da Espanha, Portugal acreditava que o jovem rei sobrevivera e voltaria para libertar seu povo. Essa crença foi chamada de Sebastianismo. O que muita gente não sabe é como esse Rei Encantado foi parar nas areias do Maranhão. Uma lenda tradicional maranhense que virou livro, escrito em forma de cordel por Wilson Marques, que ilustrei com referência na arte da xilogravura, tão marcante na literatura de cordel brasileira.

Iansã

Estudos com Roberta Viana | 2012 e 2011

Desenhos de uma série de estudos/ensaios a partir do trabalho de interpretação de Roberta Viana, atriz, dançarina, percussionista e arte-educadora.

 
 
 
Mostrar Mais

Ilustrações para o livro "O tambor do Mestre Zizinho", Editora Mercuryo Jovem | 2010

O livro O tambor do mestre Zizinho, de Wilson Marques, conta a história de um menino que descobriu

o Tambor de Crioula do Maranhão. 

 

Arte gráfica para o
"Ano da França no Brasil no Maranhão" Secretaria de Cultura do Estado do Maranhão - SECMA | 2009

 

O Ano da França no Brasil foi uma iniciativa do governo dos dois países, com o objetivo de aprofundar relações. De 21 de abril a 15 de novembro de 2009, 
houve uma 
programação em todo o país, com manifestações artísticas da França contemporânea.

São Luís, a única cidade brasileira fundada por franceses não ficou de fora dessa celebração.

 
 

Ilustrações para Lobo Siribeira e banda | 2008

A banda de Lobo Siribeira mistura instrumentos e ritmos afro-descendentes e índigenas presentes nas manifestações populares maranhenses em diálogo com outros elementos sonoros da música contemporânea.

1/3

Ensaio sobre o Tambor de Crioula, São Luís, MA | 2008

Desenhos de observação do tradicional Tambor de Crioula da Praia Grande, em São Luís do Maranhão. Essa série, feita com lápis de cor, foi vencedora do 31º Concurso Literário e Artístico da cidade de São Luís, 2008.

 
 

Desenhos do Maranhão - IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional | 2004 a 2009

Aqui estão alguns de uma vasta série de série de desenhos da época que vivi no Maranhão. A grande maioria são paisagens do litoral e dos manguezais da cidade de Alcântara e de São Luís, feitos com lápis de cor aquareláveis e tinta aquarela. A seleção acima contém imagens que foram utilizadas em publicações para o IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional , o mapa da cidade de Alcântara e algumas compuseram a Exposição "Alcântara - álbum de desenhos" no Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho, em 2006.

 

mais trabalhos relacionados
com povos indígenas em

educação ambiental

cultura

{voltar}

 
 

Ilustração e direção de arte para kit de produtos | 2015. ASCURI

Material desenvolvido através dos "cadernos Tempo Livre" para os alunos do programa Mosarambihára (Semeadores, na língua Kaiowá Guarani) que busca a retradicionalização de aspectos culturais, ambientais, agrícolas Guarani-Kaiowá, povo marcado pela resistência e luta por seus direitos. O programa Mosarambihára é realizado pela ASCURI, associação que trabalha com a autonomia e o audiovisual indígena. (youtube

 

A arte do material procurou ser alinhada com a simbologia dos Guarani-Kaiowá, onde o maracá (chocalho feito de cabaça, sementes e adornado com penas) é um objeto sagrado e símbolo de sua cultura. Em suas cerimônias, o maracá pode soar forte, triste ou solene, dependendo das circunstâncias. A imagem do maracá foi reproduzida nas capas de cadernos através de estêncil e serigrafia, nas bolsas. Veja outros cadernos "Tempo Livre" aqui. (facebook)

maira1
maira3
maira2

Ilustrações para o "Mito de Maíra" (Guajajara) | 2012. Projeto editorial

Mito relacionado com o mundo do ponto de vista dos Guajajara e conta a historia dos gêmeos Maíra-ira e Mucura-ira. Para os Guajajara, os gêmeos são heróis culturais. Enquanto Maíra-ira tem origem divina, Mucura-ira tem origem animal, como seu pai. O mito relata sua odisséia por um mundo cheio de desafios e perigos, desde os primeiros momentos dentro da barriga da mãe até o encontro final com Maíra. 

 

Ilustrações para a revista "ÍNDIO" | 2011. 

Publicação sobre cultura e direitos indígenas. A ilustração é sobre um mito do povo Jabuti, que explica a origem do mundo do ponto de vista de sua cultura.

 
Y04
Y03
Y02
Y01

Ilustrações e projeto gráfico para o livro "As lágrimas de Yara", de Ricardo Pombal | 2011. Editora Dedo de Prosa

 

Desenhos da etnia Yawalapiti, no "10º Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros". São Jorge, GO | 2010. 

Desenhos de observação / estudos das manifestações da etnia Yawalapiti, feitos no "10º Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros" (São Jorge, GO | 2010) onde simultaneamente acontecem diversas expressões das culturas populares e tradicionais. 

 

cultura

{voltar}

 

1/11

Arte gráfica, ilustrações e texto para o programa da  "MOSTRA DE 10 ANOS - LAS CABAÇAS" | 2016. SESC Pompeia, SP.

A Mostra aconteceu de junho a agosto de 2016, no Sesc Pompéia (SP) e reuniu 3 espetáculos da dupla de palhaças e uma contação de histórias. Além da criação do programa (acima), participei da Mostra criando os adereços da contação de histórias e uma série de flyers eletrônicos com as fotos da dupla.

A parceria com  dupla Las Cabaças não começou e nem termina por aí. Em 2015, lançamos um gibi contando a história das palhaças com patrocínio do Banco da Amazônia, que você pode conferir clicando aqui ou utilizando o menu lá em cima.

 

Abaixo, mais alguns trabalhos feitos para diversas companhias teatrais e afins.

 

Arte gráfica para divulgação da peça "MAS... ELE ME AMA" | 2016. Grupo Quereres - Projeto Arrastão. São Paulo, SP.

 

Arte gráfica para divulgação do "6o ENCONTRO COMUNITÁRIO DE TEATRO JOVEM DA CIDADE DE SÃO PAULO" | 2015. 

Instituto Pombas Urbanas. São Paulo, SP. 

O Instituto Pombas Urbanas contribui para o desenvolvimento de Cidade Tiradentes (zona leste de São Paulo) por meio da arte, suas raízes culturais e da capacidade transformadora do jovem. Criado em 2002, o Grupo se tornou referência no trabalho de Teatro em Comunidade, caracterizado por ser feito para, com e na comunidade.

 

Arte gráfica para divulgação da peça "ERA UMA VEZ UM REI" | 2014. Instituto Pombas Urbanas. São Paulo, SP.

 

Projeto gráfico, diagramação e iIlustrações para a revista "SEMEAR ASAS" | 2013. Instituto Pombas Urbanas.

A revista produzida pelo Instituto Pombas Urbanas em 2013 teve como tema principal as experiências do Encontro Latino Americano de Teatro de rua.

 

Ilustrações e arte gráfica para o projeto "COOPERATIVA DE ARTISTAS" | 2014 e 2015. 

Instituto Pombas Urbanas. Cidade Tiradentes, São Paulo, SP.

 

O Projeto Cooperativa de Artistas foi uma iniciativa de 3 Cias teatrais (Circo Teatro Palombar, Cia Teatral Aos Quatro Ventos e Os Filhos da Dita) formadas no

Centro Cultural Arte em Construção | Instituto Pombas Urbanas, na Cidade Tiradentes, bairro da periferia da cidade de São Paulo. Com patrocínio de dois anos,

os grupos de jovens atores realizaram uma série de atividades, como oficinas, workshops e apresentações teatrais.

O trabalho de arte gráfica da Cooperativa de Artistas foi realizado com a participação e envolvimento dos próprios grupos. Foram 2 anos de cartazes, banners, camisetas e filipetas . Acima, uma coletânea de alguns deles.

 

Ilustração e arte gráfica para divulgação da peça "ORAÇÃO EM VERSÕES" | 2010. Calabouço Encenações. São Luís, MA.

Scroll down

 

Ilustração e arte gráfica para divulgação da peça de Dias Gomes "ROQUE SANTEIRO". Direção de Michelle Cabral | 2009. São Luís, MA.

Scroll down