Ilustrações e diagramação de cartilha sobre o manejo do cipó titica para os Yanomamis. 2017

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/6
 
 

Ilustrações e diagramação de cartilha sobre o manejo de cogumelo para os Yanomamis. 2017

Ilustrações e diagramação de cartilha sobre o manejo da castanha para os Yanomamis. 2017

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/7
 

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/5

Ilustrações e diagramação de cartilha sobre o manejo de cogumelo para os Yanomamis. 2017

 

Ilustrações e diagramação de cartilha sobre o manejo de cogumelo para os  Yanomamis. 2017

Ao lado, criação de marca para Kuyuwi - grupo de coletores da Rede de Sementes do Xingu, representado pelo pássaro Jacu-açu, um natural dispersor de sementes na região.   

 

Rede de Sementes do Xingu Instituto Socioambiental. 2017

 

Projeto gráfico, diagramação, ilustrações e tratamento de imagens. 

Rede de Sementes do Xingu Instituto Socioambiental. 2017

Capa e algumas pgs do livro "Sementes nativas que conectam o Xingu", que faz um recorte sobre a participação indígena na Rede de Sementes do Xingu. Foram utilizadas ilustrações feitas pelos indígenas. 

Acima, detalhe de padrões dos grafismos dessas etnias.

grafismo wauja

grafismo wauja

grafismo yudja

grafismo yudja

grafismo kawaiwete

grafismo kawaiwete

 
 

Ilustração e direção de arte para kit de produtos | 2015. ASCURI

Material desenvolvido através dos "cadernos Tempo Livre" para os alunos do programa Mosarambihára (Semeadores, na língua Kaiowá Guarani) que busca a retradicionalização de aspectos culturais, ambientais, agrícolas Guarani-Kaiowá, povo marcado pela resistência e luta por seus direitos. O programa Mosarambihára é realizado pela ASCURI, associação que trabalha com a autonomia e o audiovisual indígena. (youtube

 

A arte do material procurou ser alinhada com a simbologia dos Guarani-Kaiowá, onde o maracá (chocalho feito de cabaça, sementes e adornado com penas) é um objeto sagrado e símbolo de sua cultura. Em suas cerimônias, o maracá pode soar forte, triste ou solene, dependendo das circunstâncias. A imagem do maracá foi reproduzida nas capas de cadernos através de estêncil e serigrafia, nas bolsas. Veja outros cadernos "Tempo Livre" aqui. (facebook)

 
maira1
maira3
maira2

Ilustrações para o "Mito de Maíra" (Guajajara) | 2012. Projeto editorial

Mito relacionado com o mundo do ponto de vista dos Guajajara e conta a historia dos gêmeos Maíra-ira e Mucura-ira. Para os Guajajara, os gêmeos são heróis culturais. Enquanto Maíra-ira tem origem divina, Mucura-ira tem origem animal, como seu pai. O mito relata sua odisséia por um mundo cheio de desafios e perigos, desde os primeiros momentos dentro da barriga da mãe até o encontro final com Maíra. 

 

Ilustrações para a revista "ÍNDIO" | 2011. 

Publicação sobre cultura e direitos indígenas. A ilustração é sobre um mito do povo Jabuti, que explica a origem do mundo do ponto de vista de sua cultura.

 

Ilustrações e projeto gráfico para o livro "As lágrimas de Yara", de Ricardo Pombal | 2011. Editora Dedo de Prosa

press to zoom
press to zoom
Y02
press to zoom
press to zoom
1/1
 
indios 1_edited
indios 1_edited
press to zoom
indios 2_edited
indios 2_edited
press to zoom

Desenhos da etnia Yawalapiti, no "10º Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros". São Jorge, GO | 2010. 

Desenhos de observação / estudos das manifestações da etnia Yawalapiti, feitos no "10º Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros"

(São Jorge, GO | 2010) onde simultaneamente acontecem diversas expressões das culturas populares e tradicionais.